Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

blue eyes

O nome desta gaita, não interessa para nada. Interessa aquilo que aqui for postando dia a dia, ou à noite...Como só tenho um neurónio disponível, é muito certo que saia asneira de vez em quando, ou quase sempre...

blue eyes

O nome desta gaita, não interessa para nada. Interessa aquilo que aqui for postando dia a dia, ou à noite...Como só tenho um neurónio disponível, é muito certo que saia asneira de vez em quando, ou quase sempre...

05.Fev.08

Dreaming....

Dona das Chaves
Ela entrou no quarto, e começou lentamente a despir a camisola. Ele assomou à porta, e observou o gesto, vendo a pele de seda que tão bem conhecia. Aproximou-se, e pegou-a pela cintura, dando-lhe um beijo carinhoso no pescoço. Ela arrepiou-se, como sempre se arrepiava com aqueles beijos quentes. As mãos dele começaram a desapertar a lingerie que lhe cobria os seios firmes. Ela voltou-se e dando-lhe um beijo, começou a desabotoar os botões da camisa um por um, demorando, como sempre fazia para abrandar a urgência dos sentidos de ambos. O restante da roupa de ambos foi caindo lentamente no chão, entre beijos longos e demorados. Ele pegou-lhe ao colo, ela enrolou as suas pernas na cintura dele, e ele alojou-a de encontro ao que ambos, já há muito desejavam ardentemente. Sentou-se na beira da cama, com ela totalmente enrolada na sua cintura, entre beijos, as mãos de ambos deslizavam pelos corpos que libertavam toda o calor daquele momento. Os movimentos de anca dela faziam-no delirar, movimentos que ele tão bem conhecia. O momento era de intenso prazer, ambos sabiam o que fazia cada um tremer de prazer e emoção, e aquele era sem dúvida um deles. O momento prolongou-se por bastante tempo, por entre beijos rápidos e outros bastante quentes, por entre mãos que acariciavam aqueles corpos sedentos um do outro, por entre movimentos de ancas que culminaram muito tempo depois no desfalecer dos dois corpos suados, mas satisfeitos do desejo que ambos sentiam um pelo outro. Ela adorava o sorriso dele sempre que faziam amor, e olhava-o nos olhos, a vontade de lhe dizer Amo-te, mas a palavra morreu num beijo carinhoso, que ela lhe deu. Oportunidades não iam faltar, pois iriam repetir-se. Subitamente começa a ouvir as notícias, abriu os olhos, e disse raios e coriscos. Eram 7 horas, o despertador acabara de a acordar, tudo não tinha passado de um sonho, um sonho do qual nunca gostaria de ser acordada, porque ali, nos sonhos ela era o amor dele.

1 comentário

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.