Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

blue eyes

O nome desta gaita, não interessa para nada. Interessa aquilo que aqui for postando dia a dia, ou à noite...Como só tenho um neurónio disponível, é muito certo que saia asneira de vez em quando, ou quase sempre...

blue eyes

O nome desta gaita, não interessa para nada. Interessa aquilo que aqui for postando dia a dia, ou à noite...Como só tenho um neurónio disponível, é muito certo que saia asneira de vez em quando, ou quase sempre...

19.Out.11

Oh! Desókupa aí o espaço...

Dona das Chaves

Como é normal nesta época e para não destoar dos restantes anos, os meus pulmões resolveram dar guarida a um monte de virús e bactérias, sem cobrar renda por isso. Expulsaram-me do meu corpo, e agora parece que ando aqui à volta a pairar na esperança que a porta se abra e eu me possa encaixar em mim novamente. A 1ª tentativa de encaixe no meu próprio corpo, foi feita no sábado com uma ida ao atendimento complementar do centro de saúde, e saldou-se no meu pedido para uma dose cavalar de penicilina, que normalmente é o que põe as bactérias com os cabelos em pé e a fugir a sete pés da minha garganta. Deve ter resultado, se bem que devem ter ficado algumas, mais corajosas, porque a coisa não está totalmente em condições, ainda há sensação de arrasto na garganta, e o hálito não voltou ao normal, logo, as danadas não se devem ter assustado e ficaram cá para vingança da expulsão das outras. Nos pulmões o festim é total, devem haver raves, disco-sound anos 80, festas de música electrónica e rock sinfónico a bombar o tempo todo. Não há rebuçado de mentol que me tire a voz de bagaço, nem mel com limão que me valha. O nariz está tratado com cetirizina, pois mais parecia uma torneira com a rosca moída, apertava, apertava, e se largava,  a qualquer momento desatava a correr água  em bica, e corria o risco que me fosse servir de tempero e de cair directamente dentro do tacho do jantar... Já devia estar habituada a estes okupas, pois é, a mesma treta todos os anos, pelo menos duas vezes, instalam-se a seu bel-prazer, e eu que me aguente, quem me manda ser fraca da garganta e dos pulmões, ter as defesas em baixo e beber 0,75 cl de água gelada antes de dormir, já para não deitar culpas também ao ar condicionado no trabalho. Já pedi uma ordem de restrição para bactérias e virús okupas, para o próximo ano em Março, mas quer-me parecer que o pedido virá recusado por falta de quórum por parte dos agentes da defesa envolvidos no processo.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.