Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

blue eyes

O nome desta gaita, não interessa para nada. Interessa aquilo que aqui for postando dia a dia, ou à noite...Como só tenho um neurónio disponível, é muito certo que saia asneira de vez em quando, ou quase sempre...

blue eyes

O nome desta gaita, não interessa para nada. Interessa aquilo que aqui for postando dia a dia, ou à noite...Como só tenho um neurónio disponível, é muito certo que saia asneira de vez em quando, ou quase sempre...

24.Nov.11

Um anjo visitou-me...

Dona das Chaves
Não sei o que me espera nos próximos tempos. Consegui que uma parte do meu passado recente levasse um bilhete só de ida para o báu dos casos terminados. Consegui uma serenidade interior a nível emocional e afectivo que espero se mantenha por bom tempo. Não posso explicar o que aconteceu e que levou a este estado de alma, mas posso dizer que por vezes alguém nos dá a mão e nos leva sem pressas, por caminhos que nos conduzem onde deveríamos estar. Foi o que me aconteceu, e (...)
17.Fev.11

Basta! Já chega...!

Dona das Chaves
A vida não é justa, já aqui devo ter dito muitas vezes. Ontem deixei o meu gato na clínica veterinária, para ser operado ao tumor no nariz. Correu tudo bem, ele portou-se lindamente, mas o pós-operatório vai ser lento e doloroso, afinal foi-lhe removida parte do nariz. Tem sofrido este meu gato, e já era tempo de ter uma vida calma e justa, já são cerca de 13 anos de gato, o que em vida de gato, já está na fase da 3ª idade, e devia ter menos para sofrer, uma vez que nestes (...)
11.Nov.09

Coração de Novembro...

Dona das Chaves
Ela não tem mais aquele brilho nos olhos, aquele sorriso largo que abraça o mundo. Vive, dentro de si própria, consigo mesma, na sua tristeza. Faz de tudo para ninguém perceber, mas os seus olhos, esses não mentem, nem mesmo nas fotografias. Por muito que sorria, o brilho azul mar dos seus olhos, é agora pálido, e triste. Ela junta todos os cacos como se de peças de um (...)
14.Mai.09

Pedaços...

Dona das Chaves
Ainda não passou muito tempo desde que ela viu destruídos os seus sonhos, os seus desejos, o seu amor pisado sem dó nem piedade. Sabe que nunca irá recuperar totalmente, mas já consegue ver as coisas de outra forma, já está no caminho que trilhou. Encontrou amizade, encontrou cumplicidade, e sabe que estar feliz, não depende dos outros mas de si. Encontrou, (ou foi encontrada, (...)
19.Mar.09

Escorpião

Dona das Chaves
Ela sente o chão a fugir-lhe debaixo dos pés… como se de repente a terra tremesse e o chão se abrisse perante ela e se preparasse para a engolir. Ao mesmo tempo sente o veneno da picada de um escorpião a entrar-lhe no sistema sanguíneo, veloz como um raio, os pulmões começam a contrair lentamente e o ar que deveria faze-la respirar está longe de cumprir o seu caminho, ao (...)
31.Jan.09

Sorriso maroto...

Dona das Chaves
Tenho tantas saudades tuas amor. Nunca o tempo demorou a passar como desta vez. Ainda falta tanto para que voltes. O frio lá fora não ajuda. Aí também não, eu sei. Fazes-me falta. As tuas palavras, os teus gestos, o teu imenso abraço, o teu sorriso maroto quando me tentas baralhar. Sim, tu baralhas-me, mas com gosto. Vou dar corda ao relógio, pode ser que resulte.
31.Mar.08

Marinheiro sei que és...

Dona das Chaves
Marinheiro de coração,Alma de lutador,Em busca do sonhode uma vida cheia de cor.O mar tem como amigo,E como casa para viverDe lá tira o seu pão,E tudo o que aprender!Navegando em mar alto,Lutando pela vida,Em cada porto,Nova saída!Correndo perigos,Com coragem de leão,Enfrenta mares gelados,Com a vida na mão…Lutador de coração,Marinheiro sei que és,Regressas sempre a casa,Com o mundo a teus pés!
16.Fev.08

Nascido para mim...

Dona das Chaves
Ainda me lembro do dia em que o telemovel tocou a anunciar o teu nascimento. Saltei de alegria, meti-me no carro e saí a correr para te ver. Quando lá cheguei, os meus olhos procuraram-te entre os outros, e lá estavas tu, lindo, acabado de nascer para mim. De entre tantos, eras a opção menos má. Não eras como eu tinha desejado, nem de sexo, nem de aspecto, mas que podia eu fazer, mandar pintar? Resignei-me e peguei-te nas minhas mãos, desataste logo a "chorar", a tua mãe logo de (...)