Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

blue eyes

O nome desta gaita, não interessa para nada. Interessa aquilo que aqui for postando dia a dia, ou à noite...Como só tenho um neurónio disponível, é muito certo que saia asneira de vez em quando, ou quase sempre...

blue eyes

O nome desta gaita, não interessa para nada. Interessa aquilo que aqui for postando dia a dia, ou à noite...Como só tenho um neurónio disponível, é muito certo que saia asneira de vez em quando, ou quase sempre...

16.Out.07

E lá acabou...

Dona das Chaves
Bom, lá acabou a vindima. Finalmente, aquela merda estava a durar tempo demais, já estava tudo enjoado. E amanhã é o dia do almoço de fim de vindima, que tédio, tentei escapar, mas a porcaria dos "velhos", não me deram hipótese, dasse... Não é que eu tenha algumacoisa contra o pessoal, antes pelo contrário, mas simplesmente não me estava (...)
10.Out.07

Encosta dos ranhosos

Dona das Chaves
Hoje estou meio morta, a vindima está no fim, mas está a dar cabo do pessoal. A coisa está feia, para quem anda a apanhar aquela porcaria, e para o patrão, que tem pouca uva para fazer vinho. Deu caracol naquela porcaria, e os danados comeram metade da vinha, o que fez com que baixasse a produção, e ainda por cima está chato de apanhar. Dasse, tem tão pouca uva e cachos tão pequenos, que anda-se, anda-se a arrastar a porcaria das celhas e nunca mais enchem, o que faz com que o (...)
05.Out.07

A perna da menina

Dona das Chaves
1.313, é com este número que inicio o meu post de hoje. E porquê, porque, é o numero de visitas ao meu blog. Não sei se são muitas ou poucas tendo em conta o tempo de existência, mas achei engraçado, não por passar a barreira dos mil, mas pelo 313, que me lembrou imediatamente a matricula de carro do pato mais azarado do mundo, sim, o pato Donald. Que saudades de um livro de quadradinhos, mas, adiante. Tal como o Donald, eu não sou uma gaja de sorte, e hoje, tive azar. Tive um (...)
01.Out.07

Os carimbos...

Dona das Chaves
Ok, estou oficialmente desempregada. Amanhã no meu posto de trabalho, vai surgir uma nova cara, com um contrato precário, e que como é obvio, não vai dar meia para a esquerda. Mas a merda de país que temos é assim. E eu lá vou para a fila do centro de emprego, entregar os papéis, e depois esperar que se dignem depositar-me mensalmente, a porcaria do ordenado mínimo, enquanto não houver uma empresa que se digne a contratar alguém com vontade de trabalhar, mas que não lambe o (...)
22.Set.07

Vindimas

Dona das Chaves
Mais um dia de vindima, amanhã... socorro, como é que me foram meter nisto? Eu devo ser doida, só posso ser. E o descanso? Trabalhar ao fim de semana, sem descanso, o que dá a necessidade... mas custa tanto levantar cedo, eu que sou de deitar tarde, oh vida ingrata. E agora vou-me deitar, porque, além de ter de me levantar cedo, estou sem cuecas, literalmente, e (...)
21.Set.07

Engordar o porquinho.

Dona das Chaves
Só agora percebi porque é que, até agora, ainda não dei em doida. Porque tenho a praia, o mar e a serra. Sim, e por poder desfrutar dessas maravilhas que a natureza concedeu a quem por aqui vive, eu vou conseguindo manter a minha sanidade mental. Mais uma vez, fui até lá, levei o meu livro e sentei-me na areia a desfrutar daquela paz, do som do mar. Quem por ali está, deve pensar que eu sou doida, afinal o livro é hilariante e, eu levo o tempo a rir, sozinha, mas faz-me tão bem. (...)