Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

blue eyes

O nome desta gaita, não interessa para nada. Interessa aquilo que aqui for postando dia a dia, ou à noite...Como só tenho um neurónio disponível, é muito certo que saia asneira de vez em quando, ou quase sempre...

blue eyes

O nome desta gaita, não interessa para nada. Interessa aquilo que aqui for postando dia a dia, ou à noite...Como só tenho um neurónio disponível, é muito certo que saia asneira de vez em quando, ou quase sempre...

18.Mai.09

Vampira... ou nem por isso...

Dona das Chaves

Ela jamais pensou que se metesse em alguns "assados", como o que acabou de sair. Agora decorridas algumas horas, repensa a situação e percebe que não sente arrependimento absolutamente nenhum, por se ter portado tal qual uma cadela que não tendo outra forma de o fazer se defende com os dentes. Até se consegue rir da situação, afinal deve ter deixado uma impressão bonita, da marca dos seu dentes nos abdominais musculados dele. Quem o mandou esticar-se mais do que tinha permissão? Lá diz o ditado " a pressa é inimiga da perfeição", e neste caso foi mais que certo. Ainda lhe perguntou se ele tinha comido sopa de elásticos, para que entendesse que se estava a esticar mais do que devia, mas ele estava tão obstinado nos seus intentos, que acabou por ficar marcado. Ela imagina a cena que deve ter acontecido a seguir, e até gostava de ser mosca por um momento, poder estar a ver a justificação que ele deu perante a favorita, perante uma marca de dentes femininos no abdómen. Ela não viu a intensidade com que deixou os seus dentes marcados, afinal mordeu-lhe por cima da camisa, mas pelo menos surtiu o efeito que queria, ele não insistiu mais e retirou a mão de onde insistia em colocar.
A saída acabou ali mesmo, não havia mais nada para dizer, ela marcou a sua posição, ele insistia que se queria algo dizia, que não andava com meias medidas, mas ela continuava sem perceber porque é que ele não percebia o seu lado da questão. Dali nunca iria sequer restar uma amizade, afinal para ele as mulheres devem ser como objectos que usa em proveito próprio, e depois de livra deles sem o menor remorso. Desta vez saíram-lhe as contas furadas, saiu-lhe um osso duro, e não teve dentes para o roer, antes foi mordido. No caminho de regresso, ainda teve o desplante de lhe tentar dar lições de moral como se ele tivesse moral para o fazer. Ela ainda lhe pediu desculpa por ter dado a dentada, mas não se arrependeu de o ter feito, e também deixou claro que a opinião dele em nada ia mudar a sua atitude perante a vida, irá continuar a ser a mesma, e com isso dorme tranquila sem arrependimentos. Irá continuar a não confiar em ninguém, até que lhe provem que merecem confiança. Foi acusada de medir todos os homens pela mesma bitola, de fazer pagar o justo pelo pecador, e no fim de contas com os seus actos ele provou que ela tem razão, e que ele sim, mede as mulheres todas pela mesma bitola, se é mulher, logo é para comer. Provavelmente não está habituado a que lhe de digam que não, e levou com um não redondo, para aprender que nem sempre inocência quer dizer que se está disponível, ou que isso significa que se embarca na primeira canoa furada que nos apresentam. Ela pode ser naif, mas não é tola, e muito antes entendeu que ele seria um galinha, apenas deixou correr as coisas a ponto de lhe dar uma lição, que deixou marca. Ela sabe que logo que lhe passem as marcas que lhe deixou, ele voltará à sua vida de sedução, mas sabe que jamais terá notícias dele novamente, afinal deixou bem definida a sua posição e se ele tem memória sabe que não se deverá meter com alguém como ela.

1 comentário

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.