Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

blue eyes

O nome desta gaita, não interessa para nada. Interessa aquilo que aqui for postando dia a dia, ou à noite...Como só tenho um neurónio disponível, é muito certo que saia asneira de vez em quando, ou quase sempre...

blue eyes

O nome desta gaita, não interessa para nada. Interessa aquilo que aqui for postando dia a dia, ou à noite...Como só tenho um neurónio disponível, é muito certo que saia asneira de vez em quando, ou quase sempre...

02.Fev.09

Viva a preguiça!

Dona das Chaves
Lá vem a "reclamona" de serviço!!! ;)
As notícias de hoje dão conta das medidas que foram tomadas para ajudar/incentivar os desempregados. Não tomei grande atenção, portanto não me posso pronunciar sobre as mesmas. Então porque venho para aqui, reclamar? Porque a única televisão que vejo, são os noticiários e algumas reportagens que dão a seguir aos mesmos. Ontem, não vi a reportagem que deu na TVI, a seguir ao noticiário da noite, apenas apanhei o final. A reportagem era sobre as pessoas que mal ou bem vivem do RSI. Algumas pessoas na reportagem são vizinhas aqui do meu neurónio. Se há pessoas que se esforçam por sair dessa situação, outras há que aproveitam todos os tostões que o Estado lhes dá, incluindo os imensos abonos para os imensos filhos que vão tendo ao longo dos anos. É nisto, que eu reclamo, os imensos incentivos à multiplicação dos preguiçosos. Já não basta viverem á conta dos meus descontos, que não fazem mais nada a não ser multiplicar-se para ganhar mais uns trocos. É nisto que reclamo, nos incentivos que este Estado dá aos preguiçosos para se multiplicarem. Querem que o país cresça, que seja mais produtivo, e é com preguiçosos que o vão conseguir? Que tal darem incentivos a esta gente toda para trabalhar, e incentivos reais a quem trabalha, mas tem consciência que um filho é algo bem mais importante que mais um elemento a ajudar na obtenção de abonos, que um filho é um bem mais precioso, que mais um preguiçoso a viver daqui a uns anos à conta dos nossos descontos. Sei que não está bom para e encontrar trabalho,mas grande parte desta gente nunca tentou sequer procurar trabalho, porque tem ordenado do Estado, sem ter de se chatear. Se eu quiser ter um filho(a), tenho de o(a) educar, alimentar e fazer dele um homem/mulher responsável no futuro, tudo isto sem incentivos, apenas com o meu esforço. Que tal se neste país se ajudasse quem contribui realmente para o crescimento do mesmo, quem se esforça por um mundo melhor e não incentivar os preguiçosos a serem cada vez mais preguiçosos, e cada vez mais em maior número. Qualquer dia o número dos que contribuem vai ser em muito menor número que aqueles que nunca nesta vida souberam o que era um trabalho. Eu também gostava de ter uma família numerosa, mas enfim tenho de trabalhar.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.