Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

blue eyes

O nome desta gaita, não interessa para nada. Interessa aquilo que aqui for postando dia a dia, ou à noite...Como só tenho um neurónio disponível, é muito certo que saia asneira de vez em quando, ou quase sempre...

blue eyes

O nome desta gaita, não interessa para nada. Interessa aquilo que aqui for postando dia a dia, ou à noite...Como só tenho um neurónio disponível, é muito certo que saia asneira de vez em quando, ou quase sempre...

24.Abr.10

Zzzzzzzzz (zeeeeennnn)

Dona das Chaves
O primeiro impacto é sempre o pior, depois acalmamos e tentamos definir os caminhos a seguir. Já defini o meu, e não vou desistir dele. Há que ir já para a consulta de oncologia, e fazer todos os exames necessários à extracção do danado. Depois há uma parte psicológica a trabalhar também desde já. Um coisa é certa, não há tempo a perder, não há tempo para aguardar e ver o que dá. A vida é demasiado preciosa para se perder em esperas que podem redundar em algo que não é agradável. Já não é a primeira vez que me confronto com um diagnóstico muito mau. Em tempos já tive médicos a duvidarem se eu não teria uma leucemia, devido a um gânglio do tamanho de um ovo de pomba, com um aspecto negro/lilás, horrível, numa virilha, e que me deixou coxa e de muletas (que eu não usava, com a mania que podia andar...). Tenho projectos importantes nesta vida, que não vou abandonar, e não vai ser um mísero caroço atarraxado numa mama que me deita abaixo. A minha prima foi mastectomizada, e já fez a reconstrução mamária, e tem 50 e qualquer coisa anos, portanto eu ainda estou a meio caminho, e vou superar esta fase menos cor-de-rosa da minha, tentando não perder sequer a paciência.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.